Professor ou doutrinador?

doutrinacaoUma leitora entrou em contato comigo ontem à noite, bastante nervosa por algo que havia acontecido com seu filho, que estuda na 7a série do Colégio Positivo de Curitiba. O garoto tem aulas de geografia com um tal de Jorge Bilek, que faz as vezes de professor engraçadinho, e que indicou para seus alunos seus vídeos no Youtube, mais especificamente um intitulado Capitalismo x Socialismo. O vídeo começa com o tal professor vestido com uma camiseta estampada com uma foto do Che Guevara e uma bandeira de Cuba na manga. Já dá pra ter uma ideia do que vem pela frente só pela pinta do sujeito. Então ele começa a despejar bobagens e clichês de esquerda, coisas como:

  • “Eu tô ganhando sem trabalhar.” – minuto 2:39, falando sobre os empresários exploradores, com uma imagem do Sr. Burns (Os Simpsons) ao fundo;
  • “Capitalismo é o patrão vivendo nas costas do empregado.”- minuto 4:30, com uma charge ao fundo;
  • “Karl Marx e Friedrich Engels lançam a partir o manifesto do partido comunista, lançam a ideia de que o mundo pode sim ser igual, e que podemos não ter patrões podres de ricos e funcionários podres de pobre.” – minuto 6:50;
  • “Então acaba sendo meio na força; então muitas pessoas associam o socialismo com ditaduras, e nem sempre isso é real.” – minuto 9:02, falando sobre como nunca existiu o socialismo verdadeiro, teórico, e transformando 150 milhões de mortos em ‘acaba sendo meio na força’.

Para terminar o vídeo ele diz que a camiseta não significa que ele seja comunista, “é apenas para ilustrar” (imagina se fosse), e sugere as leituras de “Manifesto do Partido Comunista” e… e só. Essa é a ideia do professor Jorge Bilek de como ensinar a diferença entre capitalismo e socialismo para seus alunos. Nenhuma menção a nada positivo sobre o capitalismo, nenhuma menção a nada negativo sobre o socialismo, e uma única indicação de livro, justamente o Manifesto.

A situação que o país enfrenta hoje é fruto direto de mais de 40 anos dessa prática nefasta. Salas de aula deveriam ser locais de busca da verdade, jamais plataformas de engajamento ideológico. Digamos não à doutrinação em sala de aula.

Atualização de 7 de março: depois de algumas horas da publicação deste artigo, o professor removeu o vídeo do YouTube. Ainda bem que eu fiz as transcrições.

Flavio Quintela é escritor e tradutor de obras sobre política e filosofia, e autor do livro “Mentiram (e muito) para mim”.

20 comentários sobre “Professor ou doutrinador?

  1. Quando eu estava terminando o terceiro ano do Ensino Médio, conquistei uma bolsa integral para estudar Economia em uma das melhores faculdades privadas do país. Comentando o fato com meu então professor de Sociologia ele disse “poxa, Thaís, se vendendo para o capital”, ao que eu, perplexa, respondi “Porfessor, eu sou do capital, eu sou e sempre fui liberal!”. Ele deu uma risadinha amarela e veio com “Ah, é porque você ainda é muito nova, ainda tem muito a aprender… Você é uma vítima do sistema…”. “Eu não sou vítima de nada, mas se você pensa assim, fazer o quê?” foi minha resposta, ao que eu fui embora. Isso foi em 2009. Hoje eu teria dito algumas coisas mais, algo do tipo “Melhor vítima do sistema que vítima de professor doutrinador comunista”.

    Abraço.
    Thaís

  2. As diretoras de escolas e pais devem tomar cuidado com esse tipo de “professor” (militantes aliciadores) Eles mentem muito, omitem de um lado e exacerbam de outro. A verdade eh o q eles n contam. E são cruéis pq querer para a sociedade o que matou milhares de pessoa eh perverso, ou então um doente mental.

  3. O papel do professor é mostrar todo o conhecimento ao aluno e ter condições de indicar que caminhos o aluno pode percorrer. Muitos professores de hoje em dia, ridicularizam o aluno caso ele tenha uma opinião formada oposta a dele. Os professores entram na sala como doutrinadores e não como propagador de conhecimentos. O papel do professor é conduzir o aluno para que ele vá buscar (estudar) novas culturas, novos posicionamentos políticos entre outras coisas… Em um debate com professor já ouvi a seguinte frase: “O professor aqui sou eu ou você?”. Isso é péssimo, pois acaba com a auto-estima do aluno.

  4. Grande, Flávio!
    O covarde lá não aguentou o tranco e já retirou os videos. Pena que não vai parar dentro da sala de aula…
    abraço.

  5. O pior de tudo é que eu DUVIDO que este sujeito tenha lido o Manifesto Comunista, SUPONDO que tenha lido não entendeu, na hipótese remota de ter entendido gostaria de saber se ele concorda com o que está escrito ali para fornecer como indicação bibliográfica para adolescentes.
    Exigir que professores leiam Von Mises, Hayek, Edmund Burke, Russell Kirk, Ortega y Gasset e Eric Voegelin é exigir demais. O máximo que eles podem alcançar é este livreto que deve ter 80 páginas no máximo em letras garrafais e que é repleto de contradições internas, algumas vezes até mesmo em um único parágrafo.

  6. é lastimável professores de colégios renomados como o positivo promovendo esse crimie que é a doutrinação marxista! A anos esses destiladores de veneno promovem essa doutrinação em colégios em curitiba, e nas faculdades e cursos pré vestibular. São frases que costumam dizer: vcs não podem acreditar nos avós de vcs que dizem que a época da ditadura era melhor, com mais segurança, … vcs tem que entender que o marxisismo e o comunismo pregam a igualdade … eoutras bizarrices e menitras afins. É nojento essa doutrinação feita por esses canalhas!

  7. O Colégio Positivo, que é fruto do Capitalismo, deveria observar bem quem contrata. Aliás, esse professor serve ao capitalismo, é um belo de um hipócrita.

  8. Tenho uma filha adolescente que ano passado (2014) estava fazendo um cursinho pré vestibular na UFF Niterói-RJ, quando na época das eleições pra governador ela começou a me questionar sobre em quem eu votaria e soltou uns comentários sobre o candidato do PSOL, fiquei intrigado com o assunto e comecei a questiona-la, foi quando ela me contou a respeito de um tal professor de FÍSICA que estava fazendo propaganda dentro de sala de aula, ao invés de dar aula de FÍSICA. Ou seja, doutrinação de jovens dentro de escolas e cursinho existem sim, e muito mais do que imaginamos.

  9. Bom,sou de Curitiba também, e no colégio estadual onde estudei(não sei se posso colocar aqui o nome dele,mas colocarei a sigla,que é CESF) tive duas professoras que digamos assim,eram “aliadas” do comunismo.. A pior experiência foi com a minha professora de Sociologia do ano passado,que começou a falar sobre a “ditadura” militar como se fosse a pior coisa do mundo(então o que os comunas fazem por aí é tudo certo,não é? sim,foi o que pensei na hora) e pior,ela mostrou para a classe inteira um vídeo,em que as informações são totalmente manipuladas para que os alunos pensem que a intervenção militar fora mesmo uma “ditadura”,que fora ruim e etc.. Porém,eu como cabeça pensante que sou,repudiei formalmente o vídeo que ela expôs na sala(fui educado e esperei terminar o vídeo ultrajante),me levantei e falei que tudo aquilo que estava naquele vídeo era uma completa idiotice e burrice de quem o fez. Que ela estava tentando alienar todos os alunos da escola a pensar que o regime de 64 fora horrível de fato,coisa que não foi. Exemplifiquei que na época,meus pais viviam bem,meu avô paterno possuía inclusive um aero willys(carro “caro” na época), disse também que meu pai me contara que iam para praia quase todo final de semana, quase todo domingo havia churrasco na casa da minha avó, podiam sair na rua sem medo de serem assaltados, à noite a polícia fazia rondas perto das 10 horas(que era como um “toque de recolher”) e abordava pessoas aqui e ali por volta deste horário,fazia uma revista geral,pediam a carteira de trabalho(sim,carteira de trabalho), e mandavam a pessoa em questão para casa.Agora,se a pessoa estivesse,sei lá,duas horas da manhã na rua deserta, eles enquadravam,averiguavam documentos,e levavam para a cadeia,sem mais nem menos.. Agora,hoje em dia,vive-se numa espécie de “miséria conformada” onde o povo se contenta com pouco..é como se nós apenas nos alimentássemos das migalhas que caem da mesa deste desgoverno,e nós falássemos obrigado..
    Ao que terminei de fazer este meu pequeno,singelo e humilde discurso, fui de certa forma hostilizado pela professora em questão,e por uns e outros alunos alienados que ali estavam presentes.. a tal professora começou a dizer que eu estava louco,que não era assim,que o pais está uma maravilha,etc etc etc.. eu ainda tentei me defender dizendo que ela deveria pesquisar melhor,se informar,e deixar de ser louca..e por isso,fui parar na diretoria,pois ela queria me expulsar da escola.. Bom,não fui expulso,concluí o ensino médio e cá estou..E agora,a louca desta professora,está lá,lutando pelos direitos dos professores,se opondo ao governo etc e tal..agora,lhe pergunto,onde está a maldita lógica da cabeça destas pessoas???
    Peço desculpas pelo (grande) desabafo e comentário..mas é uma coisa que eu não poderia deixar quieto…

    Geovane Souza

    • Muito bem, Giovane. A lucidez anda um pouco “desorientada” atualmente, mas pessoas como tu as mantém intocadas. Que bom! Um abraço.

    • Pois eu era adolescente, rockeiro cabeludo e andava a pé direto de madrugada e nunca me aconteceu nenhum problema. As vezes acontecia sim de ser abordado pela policia, mas como nunca portava drogas ou armas, era logo dispensado. O governo militar foi muito ruim, pra quem não prestava, bandidos, traficantes e terroristas. Por isso que até hoje a esquerda tem ódio da policia.

  10. O pior de tudo é que esse cara é meu professor. Ele ensina Geografia, porém no primeiro dia de aula disse que teria que nos dar 5 aulas de História, falando que era para facilitar na matéria. Ele passou essas cinco aulas falando sobre todos os governantes que o Brasil já teve até hoje. Falou de muitos, defendeu a Dilma e o Lula, mas houveram dois casos que me chamaram a atenção.
    O primeiro, foi quando ele disse: “Lula tinha de tudo para ser um ótimo presidente, pena que esqueceu de onde veio”. Um aluno, para fazer graça. falou: “Ele também esqueceu o dedo por lá.”. A turma toda deu risada, menos o professor (Bilek), que quase expulsou o garoto da sala.
    O segundo foi quando ele falou da presidência da Dilma e os alunos gritaram “Fora Dilma!”. Ele deu a maior lição de moral, dizendo que se fosse o Aécio teria sido pior, que o Aécio acabou com MG, etc.
    Eu achei ruim, pois ele está ensinando isso para alunos de 11 e 12 anos de idade. Eu posso dizer isso, tenho 12 anos, sei que a minha mente é influenciável, não duvido que as dos meus colegas de classe também sejam. Ele faz piada na sala de aula, mas na maioria do tempo está dando bronca na gente e odeia quando discordamos da sua opinião. Eu achava que o Bilek só era a favor do PT, mas pelo o que ando pesquisando, ele já aprontou mais.
    Achei que era importante contar como ele atua em sala de aula, já que a maioria dos alunos não sabem de nada que ele fez. Ele é provavelmente o pior professor de Geografia do Colégio Positivo, sendo que ele não ensina a matéria, e sim, Política. Quem me dera ter aula com outros professores, como o Cassabi e o Emilson!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s